sábado, 19 de abril de 2008

Vida

Vida que vai e vem, vida que nos leva, nos devora, nos estiola, nos força, nos toca, enfim, vida que faz perder o viço, enguiço...Vida, muitas vezes vida, escamoteia, anula todas as possibilidades de vida, vida que nos desnorteia.
Às vezes, a vida que levamos parece não ter sentido, as coisas que fazemos, os planos feitos, tudo cai por terra e, o que acontece? Permanecemos na eterna ignorância de não saber.
Se vivêssemos mais junto dela, quiçá poderíamos compreendê-la, mas, viver a vida não está sendo a própria vida. As exigências do cotidiano nos fazem perder este jogo, a luta cruel do dia a dia nos ameaça a todo instante pela incerteza do amanhã e muitas vezes perdemos oportunidades num lapso de segundos, um sorriso, um toque que nos ofereça conhecer melhor, enfim, dar substância à vida. Este imenso amor que é a vida está em detrimento do possível; ou seja, num primeiro momento busca-se a vida, no segundo tenta-se alcançá-la.
Mas nunca a temos.
Só sobrevivemos.
Assim sendo, a sociedade do espetáculo, consumista e muito preocupada com a economia não tem tempo para a vida. Pois a vida é dinheiro e é preciso ganha-la! É nesta corrida em busca é que tornamo-nos mais pobres de espírito em avaria do consumo desenfreado que nos prepara para a produção de bens que pouco tem preparado para o exercício da saúde, temperança e; sobretudo, Vida.
É extraordinário como nós não nos percebemos, como seres dotados de intuição, criatividade e invenção. Nos dias de hoje é muito mais fácil manter a disciplina, reforçando a repetição de uma linha de montagem.
Nesta dialética da vida, não se sabe realmente o que fazer. Como um dia disse Nietzsche – “atacar as paixões pela raiz significa atacar a vida pela raiz”.
Se vivêssemos perto da vida, não faríamos isso, aprenderíamos a vive-la...

São Paulo, junho de 07

2 comentários:

Dekinha disse...

Amigo puta que pariu amei isso cara.... p falar a verdade adoro todos os textos q vc faz rsrsrsrsr

beijinhosssss

raffa vedder disse...

a vida é sempre assim. escorre pelos dedos feito catarro, e quando vc percebe já limpou a mão...