quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

11 de Setembro: Entre a civilização e a Bárbarie

Bush deixou a casa branca e Barack Obama assume seu posto. Há muito trabalho a ser feito pela frente.Pois Bush deixou um legado desastroso repleto de guerras, gastos insuficientes, torturas e rejeição por grande parte dos cidadãos americanos.
O que será feito daqui por diante? Reformismo? Ou mudanças significativas? Não se sabe, mas, Obama parecemais um astro do rock do que um político que assume o cargo da presidência dos Estados Unidos.
Um dos legados que Bush deixou para inúmeros cidadãos, foi o ataque as torres gêmeas de 11 de Setembro. Fato este que certamente entrou para a história da humanidade. Uma vez que o país mais seguro do mundo foi atacado por bárbaros , é o que proclamou Bush quando esteve na casa branca.
Os atentados ocorridos em 11 de Setembro colocaram pela primeira vez no âmago do inimigo a sua mais espetacular manifestação. A partir daí tornou-se prosaico ouvir o ex-presidente americano colocar no mesmo terreno de debate o termo "a luta da civilização contra a bárbarie", o termo cruzada e além disso -, o que ficou mais evidente em seus discursos a questão da "luta do bem contra o mal". Neste sentido, verifica-se que os discursos de Geoge W. Bush qualificou os atentados como "ataque a civilização" - estando os islâmicos pertencentes ao lado do mal e da bárbarie. Não obstante, com a maior cara de pau possível, o presidente do conselho italiano foi mais radical em suas declarações, afirmando todo o seu desprezo e ostentando a supremacia ocidental sobre o islã.
Para Bin Laden "O que os Estados Unidos estão provando hoje é muito pouco comparável com o que temos provado há dezenas de anos. Nossa nação vem sofrendo humilhação e desprezo há mais de 80 anos [...] Agora que, após 80 anos, a espada caiu sobre os Estados Unidos, a hipocrizia vai erguendo sua horrenda cabeça para lamentar a morte desses assassinos que perveteram o sangue, a honra e os lugares sagrados dos muçulmanos. O mínimo que se pode falar desse povo é que é moralmente depravado".
Para os partidários de Bin Laden a única civilização é a civilização do Islã; a bárbarie é a dos infiéis do ocidente. Para Bush a civilização está em perigo -, isso devido ao fato que está ameaçada pelo terrorismo cego, pelo extremismo frenético arcaico de novos bárbaros que são os islâmicos encabeçados por três países considerados por Bush o eixo do mal: Afeganistão, Iraque e Coréia do Norte.
O fato é que os atentados de 11 de Setembro foram cometidos em nome da Jihad , a guerra Santa, a qual foi vetor da expansão islâmica. Mas será a reativização da Jihad pelos atuais terroristas teologicamente legítima? A Jihad está sujeita a condições específicas que não estão presentes no contexto de 11 de Setembro.
E George W, Bush? Que em entrevista disse que gostava de tomar café da manhã e conversar com Jesus Cristo em suas horas matinais sobre a guerra! Um discurso a beira do delírio! É mais fácil acreditar nos ateus, pelo menos não justificam suas ações em Deus...

2 comentários:

Elaine Cristina disse...

E aí me pergunto, até que ponto manter civilização vale a pena?

Marco Rodriguéz disse...

É o que penso também Elaine. Com discursos a beira do delírio como estes. Não se sabe realmente quem é quem.
Mas se civilização for o que vemos hoje. Esta bárbarie total. Sua pergunta faz sentido.
Ficar do lado de quem? Sendo que há tempos atrás, amas as partes tinham laços políticos muito fortes! E depois aparecem com estas palavras vazias. É. Até que ponto vale a pena?