sábado, 24 de julho de 2010

Stallone: o idiota!

O ator Sylvester Stallone provocou a ira de nós brasileiros ao fazer declarações pra lá de idiotas durante uma entrevista de divulgação na Comic-Com 2010 em San Diego, nos Estados Unidos. Ao ser perguntado “por que rodar no Brasil? ". O imbecil de músculos flácidos respondeu em tom de piada: “lá você pode atirar nas pessoas, explodir coisas e eles dizem; obrigado! E aqui está um macaco para você levar para casa. E ainda acrescentou, não poderíamos ter feito o que fizemos em outro lugar. Explodimos muita terra. Parecia assim, todo mundo traz o cachorro quente, vamos fazer um churrasco, vamos explodir essa cidade. Não satisfeito, ainda fez considerações sobre a violência local - dizendo que foram necessários 70 seguranças para garantir o bem estar de sua equipe - e sobre o símbolo do B.O.P.E (Batalhão de Operações Especiais). Os policiais de lá usam camisetas com uma caveira, duas armas e uma adaga cravada no centro; já imaginou se os policiais de Los Angeles usassem isso? Já mostra o quão é problemático aquele lugar. Sylvester Stallone se esquece dos problemas de seu país, que, aliás, é o grande provocador de inúmeras guerras que vem devastando diversos países, com a falsa idéia de instalar democracia, causando inúmeras mortes, e seqüelas seculares.

Após ter provocado a ira de nós Brasileiros, o imbecil musculoso pede desculpas, “Sinceramente me desculpo com os brasileiros e a produção do filme. Toda minha experiência no Brasil foi fantástica e falei para todos os meus amigos filmarem lá. Ontem, estava tentando fazer humor e saiu desastrosamente. Não tenho nada a não ser respeito por esse grande país que é o Brasil. Mais uma vez, me desculpe”.
Comentários como esse apenas demonstram a ideologia embutida deste “ator”, que enxerga o Brasil como um país a se explorar o que tem de pior, para depois transformar em porcarias estereotipada, velados por meio de filmes, para depois, massificar a imagem de nosso país. Um ator deste "nível" não sabe o que fala. Pois demonstrou de forma clara o que lhe é passado, para depois reproduzir por infelizes palavras mal ditas.

Cala boca Stallone!


O ator Sylvester Stallone provocou a ira de nós brasileiros ao fazer declarações pra lá de idiotas durante uma entrevista de divulgação na Comic-Com 2010 em San Diego, nos Estados Unidos. Ao ser perguntado “por que rodar no Brasil? O imbecil repleto de músculos flácidos respondeu em tom de piada: “lá você pode atirar nas pessoas, explodir coisas e eles dizem; obrigado! E aqui está um macaco para você levar para casa. E ainda acrescenta, não poderíamos ter feito o que fizemos em outro lugar. Explodimos muita terra. Parecia assim, todo mundo traz o cachorro quente, vamos fazer um churrasco. Vamos explodir essa cidade. Não satisfeito, ainda fez considerações sobre a violência local - dizendo que foram necessários 70 seguranças para garantir o bem estar de sua equipe - e sobre o símbolo do B.O.P.E (Batalhão de Operações Especiais). Os policiais de lá usam camisetas com uma caveira, duas armas e uma adaga cravada no centro; já imaginou se os policiais de Los Angeles usassem isso? Já mostra o quão é problemático aquele lugar. Sylvester Stallone se esquece dos problemas que atravessa seu país, que, aliás, é o grande provocador de inúmeras guerras que vem devastando diversos países, com a falsa idéia de instalar democracia, causando inúmeras mortes, e seqüelas seculares.

Após ter provocado a ira de nós Brasileiros, o imbecil musculoso pede desculpas, “Sinceramente me desculpo com os brasileiros e a produção do filme. Toda minha experiência no Brasil foi fantástica e falei para todos os meus amigos filmarem lá. Ontem, estava tentando fazer humor e saiu desastrosamente. Não tenho nada a não ser respeito por esse grande país que é o Brasil. Mais uma vez, me desculpe”.
Comentários como esse apenas demonstram a ideologia embutida deste “ator”, que enxerga o Brasil como um país a se explorar o que tem de pior, para depois transformar em estereótipos velados por meio de filmes e assim, massificar a imagem de nosso país.

Cala boca Stallone!

8 comentários:

Marcelo Mafra disse...

bom eu não fiquei abalado não Marco, pois é isso que acontesse no brazuca, mas não posso deixar de concordar que as ideologias tem nos inclinado para atividades completamente fictícia e desnecessaria para nossa existência como seres humanos... se fosse Fanon nosso ideólogo ele falaria assim para esse cara: "as casas, cidades, vilas, bairros e, até identidades explodidas, nos força - naturalmente - a sermos recíproco em ação!" é meu caro... mas o que escutamos é somente "ele precisa se retratar" se fosse no iraque ou afeganistão queria ver isso ficar impune!

Gentil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rafael andolini disse...

não da marcão... desculpa, mas não consigo ficar quieto.
concordo q o cara não é o gênio das palavras. concordo que suas declarações são no mínimo embaraçosas.
mas destituimos a relevância moral de seu discurso. deixemos apenas os fatos por ele narrados, e vamos lá, se pergunte.
ele disse alguma inverdade?
o bope tem o símbolo que tem e o rio tem problemas pra caralho. a inflexão pode ou não ser verdade. o brasil abre as pernas para o exterior sim.
se te incomoda o que por ele foi dito, não nos esforcemos para pedir bom mocismo da parte de outrem, mas antes nos esforcemos para que haja condições para que ess tipo de comentário não mais exista. o fato de ele não falar, não muda o fato ocorrido. apenas silência.
a atitude dele foi idiota. tvz. acredito até que sim. mas o ficar revoltado, é a típica atitude burguesa de quem maltrata os empregados bem como suas terras, e não quer que os vizinhos comentem a respeito.
quanto ao tal do mafra, meu argumento apenas se corrobora.
não devemos olhar para fora, para o que é dito. mas sim olhar para se certificar se o que foi dito, corresponde ou não. caso positivo, reintero, façamos algo para que proposições desta ordem se tornem proposições sem significado.
e por fim, ideologia de cú é rola!

Marco Rodriguéz disse...

Opa! Ó o Andolini de volta!
Em meio a estes discursos Wittgensteinianos e Marxistas, o que importa é que a fala dele trouxe algumas coisas Pà tona. Agora mepergunte, que coisas, não sei, porque nada mudou,permaneceu na mesma, logo. Nada mudou.
Mesmo Stallone dizendo tais coisas, acha mesmo que o Brasil tomará alguma atitude em relação ao fato? Não!Ficará na mesma, portanto, não se trata de questões morais, ao contrário, são fatos enxergados por alguém de fora que mal conhece a própria realidade de seu país que é o algoz de muitos outros.
E outra, não é discurso burguês!

Marco Rodriguéz disse...

Gentil,minhas palavras não querem nada,apenas mostrar o quanto somos passíveisde ouvirpessoascomo essas dizerem tais fatos.
Quanto a ficção,matemos todos os ficionistas então?

Marcelo Mafra disse...

e aí Marco concordo plenamente que não há discurso burgues no seu texto - que por sinal foi bem redigido; pois de fato o verdadeiro burgues deixou as querelas para a mídia e o povo, mas a atitude burguesa foi apenas entender o fato que com a estadia do Stallone giraria lucros no turismo, propaganda e etc.; agora sobre o que o Andolini disse: "é a típica atitude burguesa de quem maltrata os empregados bem como suas terras, e não quer que os vizinhos comentem a respeito". acho que um comentário - do visinho - não é aceito por estar arraigado nessa ideologia que ele - Andolini - rotulou "ideologia de cú é rola!", pois quando somos atingidos por palavras ou comentátirios temos a atitude de buscarmos o conceito que entendemos - mesmo de forma inconsciente - dessas palavras proferida... mas o que entendemos sobre tal palavras ou comentário é que isso agride uma imagem completamente criada por ideólogos ou burgueses ou sistema ou como queira chamar, como uma agressão e não como uma constatação... isso confirma a tal da ideologia que proferiu no seu texto, pois essa atitude de indignação por parte do povo infelismente é fruto sim de uma ideologia. agora a mesma não atinge seus criadores ou proliferadores, mas sim o vulgo que pensa está "desmoronando" com replicas um "castelo" ideológico que nem se quer fora arranhado - infelismente - ainda!Pois para isso acontecer se necessario olharemos para fora sim,pois não importa de onde veio a idéia, mas sim se essa se indentifica com nossa realidade no momento e, assim, acender o pavil dessa bomba: nossa atitude perante os fatos!

Gentil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marco Rodriguéz disse...

Assino em baixo Gentil!